Ando em crise, ou… androcrises

You may also like...

3 Responses

  1. Caetano says:

    “todo relacionamento amoroso é um misto de incômodo e prazer que na verdade é difícil administrar; e o que menos importa, neste cotidiano das mentes casadas mais conscientes, é com que pessoa a gente escolhe estar: é tudo mais do mesmo, não vale a pena a gente arriscar.”

    puta merda, que merda! mas é a mais pura e simples verdade. essa mistura de muitos anos de convívio com a maturidade dos anos insere qualquer casal nesse inferno. por mais que se mantenham as aparências, na intimidade TODOS SABEM DISSO, mesmo quem mantem tudo em segredo, o que não é o seu caso né Noga? 🙂

    Afirmo o seguinte: 1) vc não está sozinha, e a exceção são os tesudos e apaixonados; 2) Não importa o que acontece com a gente. Importante é como lidamos com o que acontece. bjs.

    p.s. não vou curtir esse post.

  2. Raul Augusto Silva Junior says:

    São coisas que não dão em poste… Só em gente. Gente como a gente.
    abraço,

  3. Joel says:

    Mau jeito?
    Linda crônica. Comovente.
    Rilke escreveu certa vez:
    “A certeza de que devemos preferir o difícil nunca nos deve abandonar. É bom estar só porque a solidão é difícil. Se uma coisa é difícil, motivo mais forte para a desejar. Amar também é bom porque o amor é difícil. O amor de um ser humano por outro é talvez a experiência mais difícil para cada um de nós, o mais superior testemunho de nós mesmos, a obra absoluta em face da qual todas as outras são apenas ensaios.”