O consciente coletivo

You may also like...

3 Responses

  1. denise bottmann says:

    olá, noga: uma das resenhas mais simpáticas que li até agora :-))
    complementando: berilo vargas e pedro maia soares tb participaram da tradução (foi dividida entre nós, fiz dezessete capítulos).
    o interessante é tb que o isaacson esteve escrevendo a bio até setembro. ainda mais depois da saída de jobs da apple, em final de agosto, ele continuou a atualizar o material e a enviar para a editora americana, que remetia imediatamente para a editora aqui. foi um trabalho de tradução acompanhando quase em tempo real a redação de uma biografia cujo final tb foi escrito acompanhando quase em tempo real da vida do biografado.

    abraço,
    denise

  2. Gostei. O texto sobre a biografia ficou excelente. Ele apropriou o inconsciente coletivo sim e soube muito bem ganhar dinheiro. Só não soube cuidar da própria vida – demorou muito para se tocar que não era o deus que imaginava – se é que chegou a esta conclusão. Comecei a ler agora.